Imagem

O problema de esperar que os outros façam o que você faria

Uma das piores armadilhas em que podemos cair é esperar que as pessoas ajam como agiríamos.

De fato, essa é precisamente a origem de muitos de nossos problemas e, muitas vezes, também de nossas maiores decepções. Esperamos que as pessoas mostrem o mesmo grau de sinceridade, comprometimento ou maturidade psicológica que nós e nos sentimos mal quando descobrimos que não são assim.

A armadilha mortal das expectativas
Todos temos expectativas, principalmente quando se trata de relacionamentos interpessoais. Pais e mães esperam que seus filhos sejam carinhosos e respeitosos, os casais esperam que seu parceiro amoroso os ame e sejam fiéis e os amigos esperam que nós os ajudemos em qualquer situação.

Ao longo dos anos, formamos uma rede de expectativas que colocamos sobre os outros. E, claro, também carregamos as expectativas que outras pessoas colocaram em nossos ombros.

De fato, às vezes estamos tão inseridos na teia de aranha de expectativas que criamos que acreditamos que o que pensamos, sentimos ou fazemos é a norma. Acreditamos que todos devem agir, de maneira geral, como nós, e, se não o fizerem, os julgamos com severidade, ficamos com raiva ou nos sentimos profundamente decepcionados.

O principal problema de pensar que todos deveriam agir como deveríamos é que acabamos frustrados quando percebemos que a realidade não corresponde às nossas expectativas. Portanto, a alimentação excessiva de expectativas é o caminho mais direto e mais rápido para a infelicidade.

Para a psicanalista e fundadora do Fãs da Psicanálise, Natthalia Paccola, criar expectativa é algo natural na vida de qualquer pessoa. “Alimentamos a realidade com ilusões de que a vida deve ser exatamente do modo como desejamos. Entretanto não é bem assim que funciona. Ter a maturidade de assumir que não temos controle sobre as circunstâncias garante maior maturidade emocional, uma pessoa flexível é uma pessoa que aprendeu que a vida é como ela é e não como gostaríamos que ela fosse”.

Alimentar expectativas é como apostar, ter certeza de que venceremos
As expectativas nada mais são do que suposições para o futuro, é como se estivéssemos apostando que algo acontecerá. No entanto, como nas apostas, existe a possibilidade de que o que estamos ansiosos não aconteça. O problema é que, ao criarmos nossas expectativas, não calculamos essa possibilidade, por isso nos sentimos decepcionados quando descobrimos que fizemos uma aposta perdida. No entanto, não podemos culpar os outros pela decepção em qualquer caso, devemos “culpa” essa nossa espera de que eles alcancem o que idealizamos.

Obviamente, não podemos nos livrar completamente de nossas expectativas. Esse também não é o objetivo. De fato, existem certas expectativas que são “compreensíveis”, como esperar que nossos filhos nos respeitem ou que nosso parceiro se comprometa com o relacionamento. Essas expectativas são, de certa forma, pilares nos quais se baseiam relacionamentos saudáveis ​​e positivos.

No entanto, há momentos em que as expectativas são irreais, muito altas ou praticamente sem base. Nesse caso, devemos aprender a minimizá-los, pois quanto menos esperarmos, mais podemos encontrar e receber.

À primeira vista, essa ideia pode parecer pessimista, alguns podem pensar que não deve esperar nada da vida ou das pessoas ao nosso redor, mas, na realidade, implica assumir uma atitude diametralmente oposta. Quando reduzimos nossas expectativas, mas permanecemos abertos ao mundo, sem antecipar o que acontecerá de maneira expectante e até angustiante, aprendemos a aproveitar o aqui e agora mais.

Minimizar nossas expectativas é, no final, dar ao mundo e às pessoas a chance de nos surpreender. Implica assumir uma atitude menos exigente e mais aberta. A longo prazo, também nos permitirá ser mais felizes, pois nos impedirá de continuar desapontamentos e frustrações.

Como parar de esperar demais dos outros?
Em vez de esperar demais dos outros, seria mais inteligente esperar mais de nós mesmos. As pessoas são muito complexas e às vezes agem de forma imprevisível, para que possam falhar conosco, da mesma maneira que podemos falhar com eles por mil razões diferentes. Portanto, é conveniente assumir uma atitude mais aberta e menos expectante, ganharemos em tranquilidade e felicidade.

1. Suponha que ninguém seja perfeito, nem você.

Você não precisa assumir o papel de juiz, ninguém é perfeito ou tem a verdade em mãos. Suponha que somos todos pessoas, tentando fazer as coisas da melhor maneira possível e que erros fazem parte do aprendizado, mesmo que algumas vezes sejam dolorosos. Não julgue os outros usando sua própria varinha, especialmente se você não andou com os sapatos.

2. Respeite a individualidade.

Diminuir as expectativas sobre os outros também significa respeitar sua identidade, deixando-lhes liberdade para agir de acordo com seus valores e desejos. As pessoas não precisam se comportar como você ou seguir suas regras. O que é válido para você não precisa ser válido para outras pessoas. De fato, quando paramos de esperar que as pessoas sejam perfeitas, elas começam a gostar de nós pelo que realmente são.

3. Aceite que você nem sempre deve receber algo em troca.

Em muitas ocasiões, passamos a vida como se fôssemos credores, pensamos que, por termos feito alguns favores, outros nos são devedores. No entanto, se vamos fazer o bem, é melhor fazê-lo, porque isso nos agrada, sem esperar para receber algo em troca. De fato, a verdadeira felicidade não consiste em receber, mas em dar.

4. Suponha que sua felicidade dependa de você.

Às vezes, colocar expectativas nos outros significa responsabilizá-los por nossa felicidade. Condicionamos nossa felicidade a seus comportamentos, para que nos tornemos dependentes de suas reações. No entanto, apenas somos responsáveis ​​por nossa felicidade; portanto, certifique-se de que suas expectativas não sejam uma desculpa para ser infeliz.

5. Concentre-se na lição.

Se a qualquer momento você se sentiu mal por não ter cumprido suas expectativas, aproveite esse sinal de alarme para fazer um teste de consciência. Expectativas irrealistas? O que você pode aprender com essa situação? Aproveite esse “reverso” para desenvolver a resiliência e adotar uma atitude menos passiva.

De qualquer forma, faça com que esta frase de Denis Waitley seja seu mantra: “Espere o melhor, planeje o pior e prepare-se para ser surpreendido “.

Fonte: rinconpsicologia.com

Imagem: Houcine Ncib 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *