Imagem

A razão oculta do TDAH muitas vezes não ser diagnosticado em meninas

Um equívoco comum entre os pais é que o TDAH afeta predominantemente meninos hiperativos. Isso levou a uma série de casos não diagnosticados de meninas atingidas pelo distúrbio. Muitas mulheres não apresentam sintomas de TDAH até mais tarde na vida. Muitas vezes, esses sintomas aparecem de maneira diferente do que nos homens. Por que isso ocorre? Qual é a razão oculta do TDAH muitas vezes não ser diagnosticado nas meninas?

Como é o TDAH nas meninas:

Os sintomas do TDAH nos meninos podem ser perturbadores, tanto na sala de aula, em casa, ao anotar tarefas…

Nas meninas, os sintomas são muito diferentes. Meninas com TDAH parecerão distraídas e afastadas ao fazer uma tarefa. Isso leva ao desenvolvimento de grandes problemas de ansiedade para meninas em idades mais jovens.

Além disso, as meninas demonstram falta de habilidades organizacionais (funcionamento executivo) que afetam suas notas, amizades e relacionamentos com os pais. Essa falta de controle em suas mentes tende a levá-las a outros problemas em suas vidas, incluindo distúrbios alimentares. Esta é uma visão muito diferente do TDAH do que nos meninos. As meninas não estão pulando nos móveis e correndo como loucas.

Diagnóstico incorreto de TDAH em meninas

Os estudos sobre TDAH concentram-se principalmente nos comportamentos demonstrados em meninos. O homem jovem e hiperativo, inquieto e em constante movimento. Quando uma menina começa a mostrar seus próprios sintomas do distúrbio, é imediatamente considerada uma questão diferente do TDAH.

Os pais e alguns professores podem dizer que não pode ser TDAH, porque isso afeta principalmente os meninos. Essas garotas não estão funcionando com o máximo de potencial e capacidade. Elas são colocadas em aulas corretivas na escola, mesmo que estejam muito acima da média nos seus desempenhos. As meninas também podem evitar grupos sociais e passar muito tempo sozinhas.

A depressão é um sintoma do TDAH em meninas em idades jovens. Eles podem ser descritos como espaçados ou constantemente períodos em que se parece estar sonhando acordados. O distúrbio, para as meninas, parece se manifestar mais na mente do que na expressão física externa.

As crianças nem sempre entendem o que está acontecendo em seus próprios cérebros nesse momento e as meninas com TDAH podem internalizar esses problemas. Por que as outras crianças são diferentes? Por que eu sou diferente? Por que não consigo me concentrar? O que há de errado comigo?

Os pais levarão os filhos a procurar especialistas, assumindo que o problema é psicológico. Felizmente, esses especialistas estão melhorando a compreensão das complexidades do distúrbio. Muitos pais, no entanto, não têm a sorte de chegar ao ponto em que realmente procuram um especialista para ajudá-los. Eles sofrem em silêncio enquanto todos ao seu redor tentam descobrir o que há de errado com eles.

Confusão

O TDAH tende a ocorrer nas famílias, levando a uma potencial confusão do distúrbio. Se um ou ambos os pais de uma criança não diagnosticaram o TDAH, é fácil dizer que a criança está apenas agindo como quando ele era mais jovem.

Eles estão bem agora como adultos, então a criança também estará. Eles dizem que a criança só precisa crescer em qualquer fase que esteja passando no momento. Infelizmente, isso é um sentimento muito comum entre pais de meninas com TDAH. Não admitir um problema ou dizer que é apenas uma fase passageira pode causar danos a longo prazo a uma criança. Essa confusão só faz truques com a mente do TDAH. Os sintomas do distúrbio ocorrem, mas a criança não tem como entender o que está acontecendo e não possui um sistema de apoio para ajudá-los a resolver os problemas.

Os tempos estão mudando

O TDAH está em toda parte no momento. É um tópico quente – qualquer pessoa com uma criança correndo e / ou barulhenta é automaticamente assumida como portadora de TDAH. Se fosse assim tão fácil, poderíamos resolver muitos dos problemas dessas crianças. O TDAH é um espectro – o que afeta alguns, pode não afetar outros.

Quanto mais cedo entendermos essas diferenças tanto clinicamente quanto culturalmente, mais rapidamente poderemos ajudar essas crianças. Os pais precisam aprender, entender e ajudar quando os sintomas do TDAH se apresentam nas meninas. Muitas vezes, pode ser diferente para eles do que para meninos. Ajudar elas agora levará a uma diminuição de futuros problemas de longo prazo que essas crianças enfrentam quando envelhecem.

Fonte: comprehendthemind.com

*Texto traduzido e adaptado com exclusividade para o site Natthalia Paccola. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.

Imagem: Bruna Saito

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *