Imagem

Há pessoas que olham com lupa para outras pessoas, quando deveriam usar um espelho

Os homens não podem ser mais perfeitos que o sol. O sol queima com a mesma luz com que aquece. O sol tem manchas. Os ingratos falam apenas dos pontos. Os gratos falam da luz ” , escreveu o poeta José Martí há muitos anos.

Essa reflexão tem um profundo background taoísta e refere-se ao fato de que em cada pessoa, em cada projeto e em cada ação duas partes podem coexistir, uma mais positiva e a outra mais negativa. Somos nós que escolhemos onde procurar.

Infelizmente, existem pessoas que apenas aprenderam a ver as manchas solares, ignorando sua luz e calor. São pessoas que se concentram nos pequenos erros dos outros e ignoram as virtudes.

Essas pessoas têm o hábito de olhar para os outros com uma lupa, para detectar todas as suas falhas e não percebem isso antes que precisassem se olhar no espelho. O problema é que a interação com elas pode acabar causando danos profundos à nossa autoestima, porque essas pessoas não apenas nos fazem sentir mal por nossas fraquezas e erros, mas também nos fazem acreditar que somos inúteis.

Como detectar pessoas críticas?
Essas pessoas sempre colocam o dedo na ferida e assumem uma atitude negativa. Você pode descobri-los porque:

– Por mais que você faça por elas e as ajude, sempre se lembrarão do tempo em que você não estava disponível.

– Mesmo se você estiver certo, elas insistirão em destacar pequenos detalhes do seu discurso para gerar uma discussão.

– Mesmo que você consiga coisas incríveis, elas continuarão lembrando suas falhas.

– Elas sempre encontram erros mínimos em tudo que você faz, mesmo que as coisas corram bem.

– Opinião de uma visão reducionista, tendenciosa e simplista que não leva em conta o cenário global.

– Elas vêem a vida em preto e branco assumindo um pensamento de “tudo ou nada”, para essas pessoas ou fazem coisas certas ou erradas, não há pontos intermediários.

– Elas são pouco autocríticas, não gostam de se sentir julgadas em nenhuma tarefa e, sempre que podem, fogem de sua responsabilidade.

– Elas aplicam uma haste de medição muito forte à outras pessoas, mas não usam esses valores e critérios consigo mesmos.

Julgar os outros é um hábito comum de pessoas frustradas
Sem perceber, todos nós tendemos a replicar as formas de relacionamento que aprendemos em casa. Portanto, é provável que essas pessoas tenham crescido em uma casa onde os adultos só notaram seus erros. Se, quando criança, eles apenas receberam atenção por seus fracassos, é compreensível que tenham desenvolvido essa maneira de se relacionar com os outros. Na prática, são pessoas que não aprenderam a se relacionar de maneira positiva e assertiva.

No entanto, o mais comum é que essas críticas vêm de profunda frustração. Geralmente, são pessoas que não se sentem satisfeitas com suas vidas; portanto, em vez de se olharem no espelho, algo que seria extremamente doloroso porque teriam que reconhecer seu fracasso ou insatisfação, preferem olhar para os erros dos outros.

Essas pessoas não se sentem satisfeitas com as decisões que tomaram, talvez porque tenham sido impostas por outras pessoas e vivem um profundo conflito interno. É por isso que criticar os outros permite que elas concentrem a atenção fora de si mesmos. De fato, Antoine de Saint Exupéry já havia dito: ” É muito mais difícil julgar a si mesmo do que julgar os outros “.

Em outros casos, essa tendência de criticar tudo é um mecanismo de defesa. Na prática, a pessoa precisa justificar sua trajetória de vida insatisfatória, desacreditando os outros.

Obviamente, isso significa que qualquer um de nós pode se tornar uma pessoa crítica a qualquer momento. Portanto, antes de direcionar a lupa para os outros, devemos garantir que nos olhemos no espelho.

Como lidar com pessoas críticas?
Se você lhes der poder, os críticos poderão machucá-lo muito. Eles não apenas afetam sua reputação diante dos outros, mas também podem prejudicar sua auto-imagem, fazendo você acreditar que não tem valor.

Não se envolva em uma discussão com essas pessoas, porque elas geralmente reagem muito mal e não aceitam seus motivos. Se elas se sentirem atacados, responderão negativamente porque suas palavras estão afetando o frágil escudo protetor que elas construíram em torno de seu ego.

Uma boa estratégia para lidar com pessoas críticas vem da Psicologia Transpessoal, que aplicou um dos princípios do aikido , uma arte marcial de origem japonesa que tem um objetivo puramente defensivo e se baseia no uso da força do ataque do adversário, não para lhe causar dano, mas apenas para afastá-lo ou nocauteá-lo.

O que acontece quando aplicamos esse princípio a conflitos nas relações interpessoais? Que, em vez de entrar em um turbilhão de reatividade emocional, focamos nessa crítica que não nos afeta. Dessa forma, não assumimos o papel que a outra pessoa deseja nos conceder, o que não pode nos prejudicar.

Por exemplo, diante de críticas destrutivas, você pode perguntar a essa pessoa: “ Como você acha que suas críticas podem me ajudar a melhorar? »Ou« O que você faria em meu lugar para obter melhores resultados? »Dessa forma, você não ataca a pessoa, mas a revida, motivando-a a refletir sobre suas palavras. De fato, com essa estratégia, é possível que você atinja uma abordagem construtiva, transformando uma situação cheia de negatividade em algo positivo.

Fonte: rinconpsicologia.com

*Texto traduzido e adaptado com exclusividade para o site Natthalia Paccola. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *