Imagem

A simplicidade torna uma pessoa comum um ser excepcional

Temos grandes sonhos e projetos ambiciosos, mas isso não significa que não podemos abraçar a simplicidade.

No entanto, em um mundo em que as pessoas parecem valer pelo que têm, em vez do que são, onde as aparências geralmente importam mais do que a essência, é fácil cair nas redes de orgulho, da vaidade e da presunção.

Mesmo assim, não há ornamento melhor para nossa alma do que humildade. De fato, a simplicidade é a linguagem do coração, é uma forma de expressão direta que não precisa de artifício e nos permite conectar-nos com os outros a partir da nossa essência, sendo 100% autêntica.

Os riscos que o orgulho acarreta
Um sapo se perguntou como poderia se afastar do clima frio do inverno. Alguns gansos sugeriram que ele emigrasse com eles, mas o problema era que o sapo não podia voar.

“Deixe comigo”, disse o sapo. Eu tenho um cérebro incrível.

Depois, pediu a dois gansos que a ajudassem a pegar uma bengala forte, cada uma segurando-a por uma extremidade. O sapo pensou em pegar a bengala pela boca.

Quando o inverno estava prestes a chegar, os gansos e o sapo começaram sua jornada. No entanto, eles não voaram muito quando passaram por uma cidade pequena e os habitantes foram embora para assistir ao espetáculo incomum.

Alguém perguntou: “Quem teve uma idéia tão brilhante?”

O sapo ficou tão orgulhoso que exclamou:

– Eu!

No momento em que abriu a boca, soltou a bengala e caiu no vazio.

Como o sapo da história, o orgulho pode nos levar a tomar más decisões, sem refletir nas consequências. De fato, sua principal arma é que ele nos convence de que nosso pensamento está correto e que todo mundo está errado. Pensamos que apenas nossas idéias são brilhantes e sensíveis, por isso não aceitamos novas maneiras de ver as coisas e acabamos nos angustiando.

Isto é confirmado por um estudo realizado na Universidade de Cornell onde psicólogos apresentaram a 100 pessoas uma lista de termos e descobriram que aqueles que se qualificavam como especialistas na área não apenas não eram capazes de reconhecer termos fictícios, que os pesquisadores haviam inventado para enganá-los, mas também alegavam saber tudo sobre esses conceitos.

Pelo contrário, pessoas que adotaram uma atitude mais humilde e não pretendiam ser especialistas, mostraram seu ceticismo sobre esses termos “duvidosos” e reconheceram não saber nada sobre eles.

Este estudo mostra que às vezes nosso ego nos cega e nos impede de aproveitar oportunidades para crescer e aprender algo novo. Isso nos mostra que, se não levantarmos os olhos, acreditaremos que somos o ponto mais alto.

7 benefícios da humildade e simplicidade que nos tornarão pessoas melhores:

1. Permite-nos ter mais flexibilidade mental:

Se adotarmos uma atitude humilde, nos tornaremos aprendizes eternos. Isso significa que estaremos sempre dispostos a ouvir novas idéias e mudar as nossas. Dessa maneira, crescemos, porque não aderimos às nossas idéias ou maneiras de fazer as coisas, mas permanecemos abertos à mudança. De fato, ao cultivar a modéstia, achamos mais fácil aprender com os erros e entender que os erros são necessários para crescer e evoluir.

2. Nos liberta emocionalmente:

Fingir que sabemos de tudo pode se tornar cansativo. Portanto, abraçar a humildade e a simplicidade é  libertador. Quando reconhecemos nossos erros e limitações, não estamos mostrando nossa fraqueza, mas pelo contrário, mostramos que somos pessoas confiantes, que somos pessoas que se conhecem bem e não têm medo de reconhecer que falharam ou precisam de ajuda.

3. Nos ajuda a apreciar os pequenos detalhes:

O orgulhoso sempre quer mais, nunca está satisfeito. Pelo contrário, a humildade se conforma e encontra felicidade no que tem. A simplicidade nos permite olhar para os pequenos detalhes e encontrar beleza neles, nos sentimos gratos pelas coisas que adornam nossas vidas e pelas quais não tínhamos dado valor antes. Portanto, abraçar a humildade nos permite sermos felizes no agora, nos ajuda a sentir-nos gratos e satisfeitos com o que somos e com o que alcançamos.

4. Permite-nos conectar a partir de nossa essência:

Simplicidade também significa livrar-se das máscaras sociais que normalmente usamos em nossos relacionamentos interpessoais. A mágica é que, quando nos livramos da necessidade de impressionar, conseguimos nos mostrar como somos e isso nos permite estabelecer um vínculo emocional mais profundo com as pessoas ao nosso redor. Dessa forma, conseguimos desenvolver relacionamentos mais autênticos, sólidos e duradouros.

5. Nos permite encontrar serenidade:

É engraçado, mas ao abraçarmos a humildade, não precisamos argumentar, impor nossa opinião ou estarmos certo. Quando não precisamos que nosso ego prevaleça, nos abrimos para outros pontos de vista e encontramos a serenidade, mesmo quando as crenças e opiniões dos outros se opõem às nossas. Essa nova maneira de abordar os relacionamentos interpessoais nos dá uma grande serenidade.

6. Nos ajuda a ser mais empáticos:

Somente quando deixamos de lado o orgulho, quando paramos de alimentar nosso ego, somos capazes de sair da nossa zona de conforto e realmente nos colocamos no lugar dos outros. Portanto, o caminho para a simplicidade também nos ajuda a ser mais compreensivos e empáticos. Isso significa que podemos entender uma pessoa, que podemos compartilhar suas preocupações e experimentar seus sentimentos, mesmo que discordemos de sua maneira de pensar.

7. Facilita nossas vidas:

Quando finalmente percebemos que menos é mais, de repente nosso mundo se torna muito mais simples. Percebemos que muitas das coisas que pensávamos que precisávamos não são realmente necessárias para sermos feliz. Então, podemos nos concentrar no que realmente importa para nós, redirecionar nossos esforços para aquelas coisas que nos fazem felizes, aquelas coisas que realmente fazem sentido para nossa vida.

Lembre-se sempre da frase do escritor argentino Ernesto Sábato: “Para ser humilde, você precisa de grandeza”.

Referência:
Atir, S. et. Al. (2015) Quando o conhecimento não tem limites A experiência auto-percebida prediz alegações de conhecimento impossível. Ciência psicológica ; 26 (8): 1295-1303.

Fonte: rinconpsicologia.com
Imagem: Pok Rie 

*Texto traduzido e adaptado com exclusividade para o site Natthalia Paccola. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *