Imagem

Os “cools” também choram

(Rogério C. Migliorini)

Outro dia pensei no que um cara falou em um blog de pessoas ‘cool’. Elas não são cool porque querem. É como uma pessoa que não faz as coisas pra lançar moda, mas que lança. Segundo ele, não fazer esforço é uma característica das pessoas cool.

 

Eu nunca aceitei o rótulo de CDF, porque nesse rótulo indica a pessoa se mata de estudar. Eu nunca me matei de estudar, nunca passei noites em claro, rachando, e se eu tirava notas boas, o fazia sem nenhum esforço. Ser aprovado era natural. Eu não tirava notas boas porque puxava o saco dos professores, porque isso eu jamais fiz.

A necessidade do esforço deve ser meio judaico-cristã. Protestante, como dizia Weber? Acho que o buraco é bem mais embaixo. Sei que algumas vezes parece que nada serve sem esforço, dor ou sofrimento. Parece que sem essas coisas, somos desonestos.

Por outro lado me intrigava saber que em biologia, um sistema é tanto melhor quanto menos energia consome. Então, um pássaro que voa sem esforço não consome energia. Por isso os urubus ficam horas planando nas térmicas. Os albatrozes passam a vida nos ares aproveitando os ventos e voando enormes distâncias sem desperdiçar energia batendo as asas.

Outro dia soube de um cavalo que sobrevive na Sibéria, porque faz o mínimo de movimento possível durante o inverno. Assim ele come pouco em épocas de escassez de comida. O koala australiano dorme o dia todo pra economizar a pouca energia q seu alimento, as folhas de eucalipto, lhe dão.

Hibernar também é uma forma de economizar energia. Ter um corpo aerodinâmico e que vença com facilidade a resistência da água também.

Mas não fazer esforço não significa ser vagabundo e irresponsável, ou montar na desgraça alheia. Assim, ser econômico em termos de esforço é ser inteligente, e isso, infelizmente, talvez, seja pra poucos. Os burros é que fazem esforços desnecessários, padecem, são espertalhões, desonestos, etc. Os inteligentes são aqueles pra quem as vitórias são naturais. Eles não precisam pisar em ninguém, fazer valer sua autoridade por motivos banais, tripudiar em cima de ninguém, desconsiderar ninguém e por aí vai. Ou seja, sensibilidade e empatia são formas de inteligência.

Compartilhar

One thought on “Os “cools” também choram

  1. Muito bom o texto, sou uma dessas pessoas taxadas como “Cool”, e tudo tao normal eu realmente faco tudo tao natural, o engracado que a minha energia que me guia, quando me sinto em uma ambiente que me faz sentir bem, eu sou eu, mas quando nao, so me guardo. Ser verdadeiro e simples e o ponto inicial para tudo. Isso e bonito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *