Imagem

Exercitando a Memória

Nosso cérebro possui regiões diferentes, cada uma responsável por uma habilidade. Quanto mais as exercitamos, maior sua capacidade de funcionamento.  Treinar as habilidades cognitivas melhora a atenção, a linguagem, a visão espacial, o raciocínio lógico, além de ajudar a prevenir doenças degenerativas da mente como Amnésia, Alzheimer, Parkinson e a depressão, protegendo-nos assim contra o envelhecimento.

Estudos apontam que estar aberto a novas ideias, adquirir novos conhecimentos, permanecer sempre ativo, engajado em diversas atividades,cria novas conexões entre os neurônios,  evitando ou atrasando problemas como lapsos de memória, desatenção, baixa produtividade e sinais de demência, além das doenças citadas acima.

Para exercitar a memória e aperfeiçoar a mente existem muitos exercícios, o importante é manter-se em atividade constante. Leitura, atividades culturais, jogos, estudo, música, entre outros, melhoram a mente e tornam as pessoas mais capazes, promovendo autoconfiança, auto-estima e qualidade de vida. A dica então é colocar a cabeça para funcionar sem parar.

Vamos conferir algumas dicas para manter a memória saudável?

Busque sempre atividades novas ou faça as atividades do cotidiano de maneira diferente. Inverta as mãos para as atividades diárias, estimule o paladar, mude as rotas que costuma fazer para chegar a um lugar, observe detalhes dos objetos da casa, vista-se de olhos fechados. Estas pequenas mudanças vão exercitar a atenção e fazer o cérebro sair da zona de conforto.

Ler um livro, ver um filme, aprender uma nova língua são atividades enriquecedoras que obrigam o cérebro a armazenar e resgatar dados, como por exemplo, guardar o nome dos personagens, significado das palavras, interpretação de textos e outros detalhes que fazem a memória trabalhar.

Aprender a tocar um instrumento, pintar, fazer artesanato, desenhar também são boas escolhas para melhorar a concentração, a coordenação motora e estimular o cérebro, além de proporcionarem grande realização pessoal.

Jogos de raciocínio e estímulo à mente são outras ótimas opções para estimular a memória e prevenir doenças degenerativas. Neles estão incluídos alguns mais simples, como sudoku, palavras cruzadas, dominó e também aqueles que exigem maior habilidade como o xadrez e o poker.

Dieta equilibrada com alimentos ricos em vitamina B12, tiamina, ácido fólico e ômega-3 ajudam na saúde da memória. Além disso, consumir frutas com alto índice de antioxidantes também é muito importante.

A prática de exercícios físicos regulares como uma caminhada pela manhã, combate a hipertensão que também é um fator de risco para a saúde do cérebro.

Fugir do estresse, manter o bom humor, encarar as situações adversas com calma faz com que a depressão passe longe, uma vez que ela é um dos vilões das doenças da mente.

Prevenindo o Mal de Alzheimer

Uma das mais temidas doenças degenerativas da memória, apesar de ser uma doença genética, ela pode ser prevenida se forem tomados alguns cuidados com o estilo de vida, praticando hábitos saudáveis.

É possível então combater fatores genéticos com fatores externos. Em casos de história da doença na família, existem atividades que mantém o cérebro ativo e ajudam a reduzir o risco de desenvolver a doença. Vamos conhecer algumas:

Alimentação – Adotar uma dieta mediterrânea, rica em peixes, vegetais, frutas e azeite de oliva ajuda a nutrir o cérebro com as vitaminas e minerais necessários para seu bom funcionamento.

Entre os peixes, o salmão, atum e as sardinhas são os mais importantes, por serem ricos em ômega 3. Castanhas, nozes, feijão e grãos integrais também ajudam muito, pois são ricos em selênio.

Hortaliças de folhas verdes e frutas vermelhas e roxas, como mirtilo, framboesas, amoras e morango, entre outras, são comprovadamente importantes para a saúde do cérebro.

Vinho tinto, em uma taça por dia, é considerado um poderoso antioxidante, e ajuda a proteger os neurônios, evitando lesões no cérebro.

Chocolate (cacau) e café (cafeína), em doses até 5 xícaras  por dia, também podem ser adicionados à dieta. São estimulantes bastante benéficos.

Exercícios para a mente – Leitura, música, atividades culturais, jogos, quebras-cabeça, palavras cruzadas, estão entre as melhores escolhas.

O xadrez e o poker, por exemplo, estimulam várias funções da memória, como raciocínio lógico, habilidade, pensamento rápido, inteligência, tomada de decisão e concentração.

Segundo o norte-americano Jeffrey L. Cummings, renomado pesquisador mundial de Alzheimer, o grupo de maior risco de desenvolver a doença é representado por pessoas que têm um estilo de vida sem atividades mentais. Ele aponta um estudo de 2009, realizado na França, que mostra que jogar poker ou outro jogo de cartas, algumas vezes por semana, pode reduzir a chance de qualquer tipo de demência, em até 50%. A esportista holandesa Fatima Moreira de Melo, por exemplo, começou a jogar poker justamente para “manter sua mente estimulada” e o cérebro equilibrado.

Exercícios para o corpo – Esquecer a vida sedentária e fazer exercícios físicos regulares pode diminuir pela metade as chances de desenvolver o Mal de Alzheimer. Portanto recomenda-se atividades físicas como tênis, natação, ciclismo, dança ou jogos de equipe. Outros exercícios do dia a dia como subir escadas e caminhar também são boas opções.

Sono – Dormir bem é um fator muito importante. Pelo menos oito horas de sono por noite é fundamental para regular as atividades do cérebro e relaxar. Melhora a capacidade de raciocínio, de concentração, de absorver informações e previne o surgimento de demências.

Pressão arterial – é importante manter a pressão arterial controlada, pois a hipertensão está relacionada com o surgimento do Mal de Alzheimer. Ao adotar um estilo de vida saudável, estimula-se as atividades mentais e as funções cerebrais, correndo menor risco  de desenvolver doenças da mente.

Compartilhar

One thought on “Exercitando a Memória

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *