Imagem

Amizades que envenenam

Quanto mais velho você fica, menos você aguenta, menos tolera, menos atura. Conviver com os diversos tipos de pessoas nem sempre é uma tarefa fácil. As pessoas que chegam na sua vida, já chegam com uma bagagem enorme de manias, preconceitos, achismos, atitudes ruins e meu bem, você não é obrigado. Todo mundo é boa pessoa até que se conheça melhor.

Uma amizade não funciona como um casamento ou um namoro onde um pede permissão para entrar na vida do outro. Você convive com a pessoa até que num belo dia você percebe que ela é o pontinho doce no meio do amargo da vida e você nem viu quando ou como isso aconteceu. As amizades simplesmente acontecem. A amizade é a única relação não sanguínea que resiste ao tempo e a distância sem que soe como esforço ou sacrifício. Um amigo é amigo porque quer, não porque assim nasceu ou porque se sente obrigado a ser. E quer maior sensação de leveza e alívio do que essa?

Por isso, guarde bem essas palavras: não perca tempo com amizades que envenenam. Não gaste sua saúde mental com pessoas levianas. Não encha a sua cabeça já cheia com o que deve servir justamente para te ajudar a esvazia-la. Não torne as amizades um fardo na sua vida, elas devem ser lindas. Nada mais do que isso.

Amizade que maltrata, que inveja, que machuca, que trai, que esnoba, não é amizade. Amigo também dá esporro, também briga, mas nunca, nunquinha da silva, sem perder a delicadeza e a doçura. Amigo não possui maldade ou má fé. Se possui, então não é amigo.

Amizade não cobra fidelidade, não sente ciúmes, não compete, não rebaixa, não fere. Se um amigo foi capaz de ser cruel com você, então é porque desde o início já veio com data de validade. Não mantenha nada estragado na sua vida. Depois de um tempo, começa a feder. E quanto mais você se prender a ela, mais imunda e fétida essa relação se tornará. Lembre-se sempre de levar periodicamente o lixo para fora. Não se torne um acumulador de rancores gratuitos alheios.

Um amigo que é cruel com você não serve para as suas conversas, para as suas saídas, para os seus choros, para as suas alegrias. Não serve para a sua vida. Por mais que vocês já tenham vivido momentos incríveis juntos, aquela pessoa não pensou nesses momentos antes de te ferir. A balança da vida que pesa para você na hora de se desfazer dessa amizade, não pesou para aquela pessoa antes de conscientemente te atingir. A ligação que você achou que existia, era unilateral e amizade não pode se fazer só de um.

Não existe segunda chance para a amizade. Se aquela pessoa não foi capaz de ser amiga na primeira oportunidade, não será na segunda, na terceira ou na vigésima nona. Não existem motivos aceitáveis e desculpáveis para uma amizade azedar. O único motivo é a falta de capacidade daquela pessoa de amar da forma mais pura e descompromissada que existe. Livre-se dela. Livre-se e ganhe mais de você. Ganhe mais dos outros. Ganhe mais de quem está de fora apenas esperando uma oportunidade para entrar.

Uma pessoa disposta a te amar não vai te odiar. Nem por um pouquinho. Nem rapidinho. Nem por um instantinho.

Autor: Marina Barbieri aprendeu a ler antes mesmo de conseguir segurar um livro e descobriu neles o que queria fazer para o resto da vida. Além do blog, cuida de um canal no Youtube, é roteirista da sua própria serie de HQ e está escrevendo seu primeiro livro de romance – ainda sem editora confirmada.

Fonte: http://www.deuruim.net/

Compartilhar

7 thoughts on “Amizades que envenenam

  1. Andréia says:

    Eu precisava tanto ler isso… Para ver que do auge dos meus 32 anos não estou sendo impulsiva ou injusta ao me afastar de quem faz com que eu me sinta culpada pela falta de consideração alheia… Obrigada pelo texto!

  2. =[ says:

    Que tipo de amiga é você que é incapaz de perdoar um erro de alguém que você diz ter um amor puro? Ou suas amizades são com seres que não são humanos?

  3. Anderson says:

    Fantástica reflexão. Sofro muito com esse tipo de amizade. Mas também tenho minha parcela de culpa, de sempre fazer expectativa em cima de pessoas que nunca ofereceram essa expectativa. É o mal do ser-humano. No fim disso tudo, o que nos resta é a indiferença. É o que tenho praticado. É o que não me fere mais.

  4. =( says:

    Nossa, amei o texto! Estou com 32, prestes a fazer 33 e ando pesando muito na balança, certas amizades. As vezes fico me perguntando se é não coisa da minha cabeça, se estou exagerando, se eu que estou errada, se sou neurótica, ou não. Já sofri com traições de outras “amizades”, então não me jogo de cabeça em uma nova, ou até mesmo naquelas em que não confio muito. Ando sofrendo por causa de “amizades” antigas e isso me faz enxergar, que quem é amigo mesmo, não fere o outro jamais!!!! Já compartilhei e vou ler sempre que ficar triste, para me fortalecer dos falsos amigos!!!!

  5. :) says:

    Nossa, estava precisando ler isso! Se a pessoa se diz sua amiga, ela faz de tudo para te ver bem, para te ajudar, para ouvir e dar opinião, se não, deixa de ser amiga, para se tornar apenas uma conhecida!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *