Imagem

Feio não é ser mãe solteira. Feio é ser pai quando convém.

Outro dia conversava com uma amiga sobre como é difícil criar um filho que vê o pai raramente. Não porque o relacionamento não tenha dado certo ou algum ressentimento possa atrapalhar, mas porque por mais que a porta esteja aberta para a criança conviver com o pai, ele não entra por ela.

Vamos lá: quem nunca ouviu que a mãe do filho de fulano só dá problema? Ele vê o filho quando quer, dá o dinheiro achando que está ajudando (colega, não é nada além da sua obrigação) e reclama horrores do quanto a mãe da criança só dá problema, cobra presença e aquele papo todo de obrigações que os homens tem pavor, mesmo que seja por alguns minutos.

O que muitas pessoas não entendem e não filtram antes de soltar um “ah, mas é só pra te perturbar, não é?”, é que a perturbação começa quando a mulher precisa de uma folga. Folga do tempo em que ela cuida do filho de ambos, integralmente.

Que mãe solteira nunca ouviu que precisa dar uma folga para o pai do seu filho? Porque ele trabalha demais, está cansado demais ou está com algo de menos. Engraçado, né? Há homens que podem ter a mesma profissão, menos ou mais tempo e se dedicam à família do mesmo jeito. Enquanto alguém lida com um pai que tem tempo para tudo, menos para os filhos, sempre vai ter plateia para aplaudir o pai que aparece quando dá. Mas sempre será assim: se você trabalha fora, é a egoísta que não abre mão das próprias coisas pelo filho. Se você não trabalha, é interesseira que só espera a pensão. Ou seja, estaremos quase sempre erradas, e os homens – mesmo que estejam a quilômetros dos filhos – estarão fazendo o melhor se pelo menos cumprem a obrigação financeira com o filho.

Enquanto o pai não aparece, alguém tem que fazer as compras, os lanches, os banhos, os dentes escovados, ensinar o certo e errado, ensinar a se proteger, lidar com birras, preparar e dar comida, ensinar dever, levar e buscar na escola, comparecer nas reuniões escolares, levar ao hospital, trocar fraldas, mudar o vocabulário (adeus palavrões)… e quem faz isso se o pai não está presente? A mãe! E isso não é levado em consideração enquanto o pai caminha livre, sem preocupação com o bem estar do filho ou em se fazer presente, já que a mãe faz papel de dois (ou de três, porque o dia-a-dia com filhos, só quem passa diariamente sabe o quanto é trabalhoso).

E sabe o que é mais curioso? Que mesmo sobrecarregadas, sendo mulheres, mães, provedoras, cuidadoras, enfermeiras, babás, professoras e tudo mais, ainda somos as bruxas que não deixam os pais em paz. Com a mãe solteira, não há escala de trabalho que a impeça de ser multitarefa e se virar para conciliar a vida com os filhos.  Porque de filhos, nós não temos como tirar licença, não é mesmo? Enquanto os pais que o são quando convém, curiosamente arrumam tempo para viagens, jogos de futebol, saídas com amigos, namoricos… e o filho é prioridade na vida de quem, então? Não consigo entender como ainda é tudo obrigação da mãe, inclusive amor e carinho!

Nós, mães solteiras temos essa mania de querer o melhor pro filho, cumprir várias funções e suprir a ausência do pai, ou tentar fazer com que o progenitor perceba que ele é sim importante na vida dos filhos. Mas isso não cabe a nós, sabia? Por mais que nossas crianças sejam lindas, saudáveis e não entre na nossa cabeça como podem ser deixadas de lado ou vistas quando é conveniente, precisamos entender que não adianta forçar nada. Dar toques talvez funcione, mas não é uma receita de bolo que dá certo com todo mundo.

Se você é mãe e solteira e acredita que não existe ex pai e apesar de toda uma história -conturbada ou não –  o seu filho precisa e quer a presença do pai, demonstre isso para o progenitor. Explique como seu filho se porta, os questionamentos e deixe claro que ele é importante na vida do filho. Mas entenda que se o pai não possui interesse em colocar o filho como prioridade, não é ele que será uma prioridade na vida da criança. O que eu quero dizer: não fique frustrada se após você correr atrás, tentar conversar e pedir uma presença efetiva, esse pai não tenha percebido que o assunto em pauta é a importância dele no dia-a-dia do filho e na divisão justa de direitos e deveres de ambos os pais. Acontece mais do que você imagina. Se você tem equilíbrio para saber separar as coisas e tentou uma aproximação, esse afastamento não é uma escolha sua!

Nosso papel de mãe (e em muitos casos de pai, também) é criar nossa prole da melhor forma possível. E quem faz isso por ocasião, conveniência, talvez mereça o mesmo tipo de tratamento. Seja pai, parente ou simplesmente alguém sem o mínimo de empatia e noção da realidade.

Um dia, nossos filhos vão crescer. E não vamos precisar falar para eles quem estava lá, quem fez tudo e priorizou a vida e felicidade deles. Porque crianças observam tudo, principalmente sobre quem está com elas, se é ou não por obrigação.

O que podemos fazer é para nossas crianças. Então que o foco seja nelas e o pai que aparece raramente, faça o papel que ele mesmo escolheu: o de coadjuvante. Pode ser uma pena, mas a nossa parte diária, nós fazemos. Que os pais corram atrás dos seus filhos e parem de reclamar sobre situações inexistentes ou exageradas. Que parem com as desculpas, principalmente. E que um dia percebam que muitos pais solteiros (ou não) dão conta do recado com muito amor, carinho e diálogo. Esses sim estarão presentes nas lembranças de infância dos filhos. Se não temos pais presentes para essas memórias, nossos filhos sempre nos colocarão nas suas nostalgias futuras.

Fonte: www.vilamamifera.com

Autor: Olivia Mafra

Compartilhar

35 thoughts on “Feio não é ser mãe solteira. Feio é ser pai quando convém.

  1. Camila says:

    Passo por essa situação, pro pai do meu filho a atual esposa é mas importante do que dar atenção ao nosso filho isso me dói muito ver meu filho sofrendo!!!

  2. Fernanda says:

    Sem dúvida isso acontece direto! mas eu tenho um amigo que vive exatamente al
    o contrário e percebi que tem muitos pais na mesma. Minoria? Talvez. Mas o número é crescente. Por que será?

  3. Daiane says:

    Muito legal falo tudo. Eu estou passando pela mesma coisa com o pai do meu filho, ele esqueceu que tem uma pessoa que sente a falta dele e piorou quando começo a namora. E o pior de tudo isso que ele morra na mesma rua no mesmo quarteirão.

  4. Maria Flor says:

    Mães solteiras ficam muitas vezes sozinhas na criação do filho mas mesmo as casadas, com o marido em casa, acabam fazendo de tudo sem a colaboração do pai. Os homens precisam entender melhor sua importância .

  5. Nathalia says:

    Vivo exatamente issu, realidade pura cada palavra escrita passo por cada situação mais semeio a semente d vdd e sei q minha filha vai enxergar a verdade. Pai de paisagem.tem mtos

  6. Márcio says:

    Feio não é ser Mãe Solteira, Feio é abandonar um Pai que dedicava a vida pela Filha e a Família pra viver como uma Adolescente. ” Meu Caso ”

    • Kelen says:

      É Márcio, não deve ser fácil mesmo… Boa sorte!
      Eu vivo isso, cuido sozinha do meu filho, eu vivia junto do pai dele, mas ele não tinha tempo pra gente e detalhe que ele já tinha uma filha antes do nosso filho. Ele tem tempo pra ela, passa o final de semana inteiro com ela, e com a gente ele não passa nem 3 horas por semana. As vezes acho que essa é a cruz que devo carregar por tudo o que eu não deveria ter feito, e fiz.

    • Ithelly says:

      Sou mãe solteira. Vivia cm o pai do meu filho. Mais eles nos deixou pq queria viver sua vida sozinho. Não faz conta do filho. Pq arrumou outra, e ela simplesmente não gosta que ele fale cm o filho e nem comigo.

  7. Amanda says:

    Adorei o texto. Eu como filha criada, basicamente, pelos cuidados da mãe posso afirmar que a falta de um pai presente fez diferença em quem eu sou. Fico me colocando no lugar de vocês, mulheres, que passaram/passam por isso e vejo o quão difícil é se desdobrar em 49 para fazer todos os serviços e ainda sobrar tempo e dinheiro para educar um filho sem uma figura masculina.
    Mais do que mães, vocês são “pães”. (Pai e mãe)

  8. Angela says:

    Essa é bem minha realidade , moro com meus filhos no Rio Grande do Sul e o pai das cças mora na Bahia vê os filhos 3 x ao ano e se acha pai presente pq liga de vez em qdo . O restante da reportagem descreve perfeitamente minha realidade ,cansei de defender o pai qdo as cças choravam a sua falta , hj não escondo deles a realidade .

  9. Marcos Andrade says:

    A pior coisa também é quando uma mãe usa a filha ou filho para tentar segurar om pai , mas existe algo que fica no ar , cada caso seria uma caso , não se pode tão somenos generalizar toda e qualquer situação , existem mães que também se faz de vitima e usa os filhos contra o pai e também para querer controlar , e a disponibilidade de cada um eu não vejo a minha filha quando convêm e sim quando posso ou melhor quando a mãe deixa e acho desnecessário ter de sair com a minha filha e a mãe esta junto não existe nexo , sem mais .

    • Nathalia Paccola Nathalia Paccola says:

      Para regulamentar visitas existe a justiça, na maioria desses casos rápida e eficaz.
      Sim, assim como existem muitos tipos de mães, também existem muitos tipos de pais. Esse texto fala de um tipo, ainda bem para você, sua filha e familiares que você não se enquadra no perfil narrado.

    • thais says:

      Gostei do seu comentario.Meu marido tem uma filha cm outra mulher e ela nao se poe no lugar de ex.antes queria ir junto quando ele passeava cm a criança e agora fica dizendo q ele nao e pai so pq e casado e tem menos tempo p ver a menina.entendo vc

  10. HELENA says:

    O TEXTO JÁ COMEÇA RUIM EM FAZER O LEITOR CONFUNDIR MULHERES SOLTEIRAS COM MULHERES DIVORCIADAS, O QUE É BEM DIFERENTE. NO MAIS TRATA-SE DE UM GENERALIZAÇÃO DESCABIDA DE UMA COMPANHEIRA RECALCADA. SOU MULHER E DIVORCIADA, FINJO QUE SOU VIUVA (TENTEM MENINAS, FUNCIONA). TIVE FILHOS PORQUE QUIS E NÃO PARA MOSTRAR PARA AS AMIGAS NO FACEBOOK. TRABALHO, PAGO TODAS AS CONTAS E NÃO MENDIGO PENSÃO, DOU CONTA DE TODAS AS
    ROTINAS ATÉ DE LEVAR NO JOGO DE FUTEBOL… NAMORO TAMBÉM E SOU FELIZ. DESDE O DIVORICIO, PORQUE QUIS A GUARDA DAS CRIANÇAS, ENTENDI A DIFERENÇA DE QUALIDADE E QUANTIDADE DE CARINHO E ATENÇÃO. DOU TANTA ATENÇÃO AOS MEUS FILHOS, EM QUALIDADE, QUE ELES NEM RECLAMAM DA AVENTUAL AUSENCIA DO PAI! MENINAS, CONSELHO, INDEPENDENCIA E VIREM A PAGINA!!! BJOCASSS

  11. Zr says:

    Escolhe cafajeste, marginais e bad boys pra ter filhos repouso ficam reclamando.. Kkkkkkkkk era só ter usado preservativo.. Irresponsabilidade.. Eu tenho quase quarenta e nunca tive nenhum filho pois sempre me cuidei usando preservativo.. E nunca nem em sonho alarme falso ou interesse apareceu alguma dizendo que ia ser mãe.. Portanto a culpa é de vocês que não se preservam e escolhem o que não presta.. Kkkkkkkkk eu não mereço mãe solteira..

    • Lianesantos says:

      Querida ou querido não critique os outros; filho é uma bênção e a mulher que os cria sozinha um dia também será cuidada pelo seu filho ou filha, e outra os homens são uma coisa quando a mulher engravida viram outra vai vê é pela responsabilidade que eles não querem ter, já viu homem se importar com alguma coisa eles não tão nem aí pra nada, não são todos mais a maioria.

  12. Joyce Almeida says:

    Passo pior, ou melhor, nem sei ao certo. É verdade cada palavra dita. Meu ex marido a um ano foi embora e a um ano não procura o filho e ainda faz comentários por aí que eu sou desgraçada q não deixo ele ver a criança…. Ele nunca procurou, nenhuma ligação… No fundo eu dou graças a deus…. Assim meu filho não sente falta de uma pessoa q praticamente nem conhece, faço tudo pelo meu filho, sou mae e paizão rsrsrr brinco de tudo…. E assim vou levando nossa vida. Criando com muito amor e dedicação, e vejo refletido no meu filho a boa educação, fico de certa forma feliz com a ausência do pai dele….. Meu filho e carinhoso, mega educado, super prestativo…. Meninas se os pais não procuram melhor p vcs, menos um problema em ter que concertar a má educação dos pais faltosos, pq se pouco procura q educação, e exemplo esse homem podem dar? Nenhuma. Bjs e boa sorte p gente.

  13. Joice says:

    Conheci meu marido fazia 1 ano q ele havia separado, a filha dele tinha 3 anos (hj tem 17) e a mãe da menina só deixava a menina com ele qdo queria viajar com os namorados, nunca o deixou participar de nada, tanto as festas de aniversário eram separadas, pois ela ñ queria o pai presente. chegou ao ponto de ela dizer q ele ñ tinha direito em intervir qdo descobriu o envolvimento da menina com drogas, e ela simplesmente ñ tomou nenhuma atitude. hj raramente se vêem, nosso filho de 10 anos sente muito a falta da irmã…

    • Mark Gonçalves says:

      Nossa, seu comentário me deixou preocupado, passo por algo parecido, sou divorciado, não tenho problemas para ver minha filha, desde que esteja regulamentado, precisei de um processo de quase um ano para conseguir pernoitar um dia com ela, hoje fico sabendo que minha filha está sendo estimulada a chamar o avô de pai, ela reclamou comigo que não pode pedir para me ver que a mãe briga, não me passa nada da nossa filha, só sei como está na escola quando eu vou lá na escola e pergunto, só sei que passou mal quando pego o relatório do plano de saúde. Sim tem muitos pais de merda por aí, mas, tem muita mãe maluca também!!

  14. angela de vasconcellos ramos says:

    Triste é que a maioria desses filhos fantasiam a imagem desse pai e fazem qualquer coisa p receber uma migalha de atenção. Demora muito p eles perceberem a realidade e colocar o pai no verdadeiro lugar dele. Porque quando chega a hora de “usufruir” de um filho bem sucedido e com sucesso, ah, esse pai vai querer “colar” nesse filho. Vi esse filme várias vezes. A primeira vez, aqui em casa.

  15. Liliana says:

    Não gosto do termo mãe solteira. Não tenho caso descrito aqui mas mesmo assim passo por bruxa porque sei perfeitamente que coloco o meu filho como prioridade, de tal forma que faço questão que ele passe igual tempo em casa da mãe como na casa do pai, mesmo que na casa do pai fique entregue (na maior parte do tempo) aos cuidados da actual companheira. Enfim… cada um tem as prioridades bem definidas.

  16. Tania says:

    Faz um ano e dois meses que o pai da minha filha foi embora, no começo até ajudava financeiramente, mas agora se eu quero que ele saiba como a menina está eu é que tenho que ligar atrás, e ainda vem me dizer que estou tirando o direito de pai dele. Mas espera aí, quem foi embora pra longe foi ele e por conta própria, nem discussão nem briga tivemos. Nós continuamos no mesmo lugar. E mais, não adianta somente querer vir e passar uns 10 min. com ela e depois desaparecer novamente isto só aumenta o sofrimento da criança. Ser pai é estar presente em todas as situações. Aí eu pergunto! Adianta entrar na justiça, pedir pensão e coisa e tal? Isto serve somente par ficar entrando e saindo da prisão. Eu penso que, quando se tem amor se tem o direito e a obrigação de ser pai. Não precisa de justiça pra dizer! “ei, pai você tem obrigações com o seu filho”!!
    Cuido da minha princesa sozinha, e não me arrependo disto.

  17. kely says:

    Quem resolve ter filho é a mulher então desculpe mais ela tem que assumir essa responsabilidade. Eu tenho minha filha e não dependo de nada e ela não sente falta de absolutamente nada.

  18. Aninha says:

    Não se deixe levar pelo julgamento na generalidade, Cada caso é único, com nuanças diferentes e situações internas, desconhecidas dos outros… Observe seus motivos e suas ações, melhore no que puder, mas espere o julgamento do tempo, perante Deus e sua consciência, porque sei de muitos casos em que o melhor para a criança foi o aparente afastamento numa renuncia silenciosa que contribuía para a Paz… Muito mais importante.. “Cada caso é um caso”…

  19. Amanda says:

    Me encontrei nesse texto, tenho um bebê e estou passando por isso, vejo que infelizmente a ignorância masculina faz proliferar esse tipo de comportamento. Lamentável tal realidade, mas difícil também se conformar, por que de certa forma, a mãe também deve ter tempo para ela, a vida não pode se resumir a um filho depois que eles nascem porque suas necessidades como pessoa continuam. Na busca por um mundo mais equilibrado.

  20. Gabriela says:

    Sou mãe solteira, e o pai do meu filho é um merda!
    Como dizem por aí.. Em redes sociais, todo mundo é feliz, é pai, é mãe, tem um relacionamento maravilhoso! E na vida real, elas esquecem de levar essas coisas a sério.. Também acho que cada caso é um caso, podemos até ter alguns meio parecidos, mas não o mesmo.. Eu só quero dizer, que amo a parte em que chego em casa do trabalho e o meu minhoca fica feliz em ver a mamãe dele, que eu aprendi a jogar bola e a cantar musicas de crianças, a de rolar no chão e mentir que estou um pouco triste só pra ver a atenção dele para mim. Eu amo ouvir aquelas gargalhadas de cócegas na cocha da perna, eu amo quando ele dorme depois de mamar e vira de costas para mim até ir chegando perto, pra dormir de conchinha com a mamãe.
    Agora eu paro e penso, pra quê eu ia querer o pai dele junto ? Só para atrapalhar tudo isso ? Só para querer ocupar o espaço que o minhoca tem na cama ? Não, mil vezes não.. Prefiro as minhas olheiras, meu cansaço .. E receber todos esses mimos do meu anjinho, sozinha!
    Desculpa, mas nada disse é egoísmo. É apenas amor, esse sim realmente é o único amor que vale a pena. Ele é insubstituível, ele é único, um amor completamente verdadeiro!
    E sobre o pai do meu filho, é só um cara que pega ele nos sábados das duas da tarde até as cinco do mesmo dia. E quando não tem compromisso..
    Esses são os meus comentários sobre uma MÃE FORTE, solteira.

  21. Adrielle Santos says:

    O meu pai não era presente na minha vida só fui uns 4 finais de anos pra casa dele em quase fez anos de separação,hoje ele foi na minha escola coisa que ele nunca tinha feito,e começou a falar um monte de coisa nada a ver comigo ai eu falei “agora que você quer fazer isso” ai ele falou “você nunca deu problema na escola antes” ele só vinha correndo me ver, esse mês ia fazer três meses que ele não me via,no meu aniversário ele,nem veio me ver,me ligou quase meia noite, falei pra minha mãe que agora é tarde, e eu não quero,agora é tarde demais pra fazer o papel de pai

  22. André says:

    Acho q vc deveria mudar o título do seu texto, pq vc esta se referindo a mulher separada q teve um relacionento estável.
    Pq é feio sim mãe solteira e sempre vai ser.
    Hoje o q mais se encontra são garotas novas q ao invés de estarem estudando dentro da sala de aula, estão dando pra 2, 3 atrás da escola e no próprio bairro.
    É feio pq elas engravidaram por serem piranhas ou por dar pra um vagabundo qualquer só pq é descolado e tem a barriga de tanquinho.
    Pior q isso é ainda querer q os pais pague por esse pecado colocando-os para criar o filho q ela teve devido sua libertinagem.

    • ariadne says:

      Feio ser mãe solteira ? Me desculpa mais feio é esse seu modo de pensar … A coisa mais comum hoje em dia é gravides na juventude , eu engravidei com 15 anos , hoje tenho 17 , sustento meu filho sozinho não tenho pai nem mãe , terminei meus estudos , e dia 13 começo na faculdade , iai ? sou piranha que dou pra vários ? não meu querido sou uma mulher que engravidou de um namorado n dei pra qualquer atrás de escola , mais eu arco com as minhas responsabilidades mesmo com a pouca idade , então procure pesquisar mais sobre o assunto mães solteira porque esse ponto de vista seu está lamentável

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *