Imagem

Está todo mundo deprimido

Ser feliz dá um trabalho danado. Chega até a assustar, mas não mata, não

Está todo mundo deprimido, a felicidade foi embora.

Se em uma reunião pudéssemos fazer  raios-X das bolsas e dos bolsos, encontraríamos, entre os gêneros de primeira portabilidade, comprimidos de antidepressivos. O que antes tinha emprego discreto, hoje virou conversa de salão. Discute-se qual medicamento cada um toma, como reagiu, há quanto tempo, se o genérico substitui bem o oficial e por aí vai. E se a fala corre solta, sem o comedimento anterior, é porque uma forte propaganda convenceu muita gente de que a depressão é uma doença como outra qualquer, como quebrar o braço em um acidente ou contrair malária. Essa propaganda de fortes coloridos interesseiros da indústria farmacêutica, associada a uma medicina que se orgulha em ser baseada em evidências – aquela em que o médico não dá um passo sem pedir um monte de exames – veiculou a ideia de que você não tem nada a ver com a sua depressão, que os sentimentos são cientificamente mensuráveis e, em decorrência, controláveis.

Sobre isso, Heiddeger contava uma história engraçada. Dizia que um cientista afoito em provar suas teses de medição da felicidade e da tristeza, começou a visitar os velórios de sua cidade carregando tubos de ensaio, nos quais recolhia a quantidade de lágrimas que viúvos vertem a cada três minutos. Podemos imaginar a cena!

Mutadis mutandis, se alguém já viu um interrogatório desses que querem medir o estado depressivo – com algumas nobres exceções – verá que é difícil escapar de ser tachado de doente, quando perguntas como essas lhe são dirigidas, simultaneamente: -“Você tem dormido pouco, ultimamente?”, ou: -“Você tem dormido muito, ultimamente?”.

Por que essa euforia da depressão? Será mesmo, como muitos respondem, por uma desregulação dos níveis do neurotransmissor serotonina? A serotonina ficou até popular, todo mundo fala dela como do colesterol. Ela é íntima. Agora, por que a serotonina ficou alterada de repente em tanta gente? Alguma epidemia viral de vírus anti-serotonina ou coisa que o valha? Não parece.

Prefiro pensar que se há muita depressão – lato sensu – é porque sofremos uma revolução dos parâmetros que atuam na formação da identidade. Na saída da sociedade moderna para a pós-moderna, não temos mais termômetros de certo e errado que serviam para as pessoas se orientarem se estavam bem ou mal. Com o fim desse maniqueísmo, nossos tempos exigem maior responsabilidade individual no seu bem estar. Aí, muitos fraquejam. Dou um exemplo simples: uma pessoa cruza com um conhecido na rua e o cumprimenta. O outro não responde e segue seu caminho. Qual a primeira pergunta que vem na cabeça de quem fez o cumprimento? O que vem é: -“O que foi que eu fiz?”, no sentido de uma bobagem que ele teria cometido motivo da falta de resposta ao cumprimento. Quando a identidade, como nesse caso, titubeia, ela se regenera, paradoxalmente, na auto-depreciação. Daí para se sentir deprimido é um pequeno passo. E, para complementar a receita, como estamos na época da medicalização da vida, na qual se acredita que para tudo tem remédio, pronto, tasca antidepressivo nele.

Triste tempo esse, realmente, em que tentam dessubjetivar a responsabilidade pessoal frente aos sentimentos. Mas não vai funcionar, como nunca funcionou na história da humanidade quando já tentaram amordaçar o desejo humano.

Ser feliz dá um trabalho danado, chega até a assustar, mas não mata não.

Autor: Jorge Forbes

Compartilhar

14 thoughts on “Está todo mundo deprimido

  1. Nossa! Não li isso! Como se fosse bom ter depressão. E existe uma grande difereça entre estar triste ou feliz e se ter depressão. Peloamor! Sofro disso há pelo menos 20 anos e daria um braço para me livrar dessa merda e de todos os remédios que testam em nós, porque não passamos de cobaias para essa máfia da i dustria farmaceutica.
    Ler uma coisa dessa, me revolta!

    • Você pode ir no melhor terapeuta; você pode gastar milhares de reais com remédios; mas se lá no seu íntimo você não perdoa e aprende a se conhecer, ai não há cura. A cura acontece quando você começa a aprender a se analisar, quando pára de se identificar com sua mente, quando você acalmas seus pensamentos. Tenho clientes que se curam em 6 meses de terapia. Sou eu? Não, sou apenas um meio. É que a pessoa percebe que não dá pra viver na ilusão do medo pra sempre e, através de atividades diferenciadas e técnicas simples, consegue-se GRADUALMENTE a libertação. Cada caso é único e não se pode generalizar. Podemos dizer que há cura para tudo, literalmente falando, basta aceitar como é o Universo .

    • Juliana Nunes says:

      Não entendi Simone!
      O que te revolta? A forma como o autor trata o tema ou a medicalizacao (a indústria farmacêutica sendo um grande poder mundial)?

    • Cláudia says:

      Tb concordo contigo. O texto parece banalizar a depressão. A questão é que o mundo contemporâneo tem contribuído para o desenvolvimento desta doença e por isso deixou de ser tabu como antes. Quanto ao uso de antidepressivos, infelizmente não tem jeito, precisamos tomar. Não acredito em pessoas que dizem sair da depressão sem medicação. E geralmente a depressão não vem sozinha, vem acompanhada de outros transtornos. A indústria farmacêutica está se dando bem com isso ? Verdade!! Teria outras formas de se sair da depressão ?? Talvez…algo que se fala tanto é uma melhora na qualidade de vida, mas alcançar esta desejada qualidade de vida é algo muito subjetivo. Eu fiz mudanças radicais na minha vida em busca desta almejada “qualidade de vida” , mudei para um lugar mais tranquilo, com menos pressão social, perto do mar que todo mundo considera um ótimo remédio pro emocional. No começo, até acreditei ter feito a escolha certa. Mas não demorou muito, percebi que havia aberto mão de coisas que eram muito importantes tb pra qualidade de vida, que eram vínculos com amigos, pessoas em quem vc confiava, serviços essenciais. E com isso outros problemas surgiram me levando ao fundo do poço da depressão. E aí ?? Recorrer a que ?? Neste momento só conto com a medicação como minha aliada para me sentir um pouco melhor, pra me libertar de alguns pensamentos, como o suicídio. Não consigo vislumbrar outro jeito de sair da depressão, mesmo pq as decisões tomadas lá atrás afetaram demasiadamente meu presente e comprometeram meu futuro. E o pior é que vc vive uma busca solitária, pois nem apoio daqueles que deveriam salvaguardar sua integridade física, psicológica e emocional te amparam em suas decisões e o que era pra ser uma solução se torna um pesadelo ainda maior!!

      • A solucao de tudo esta sempre em Deus . Deus e so Deus ,que aceita o arrependimentos e,garante sua vida .Procura -se solucoes que Deus ensinou ,deu certos poderes ao homem (tratamentos…) . Com Deus sempre o caminho sera claro,de luz .

    • Bianca says:

      O texto não se trata do fato de ser bom ou fácil ter depressão… Se trata do fato de se ter popularizado o uso de anti-depressivos, a facilidade com a qual a ciência declara um simples momento de tristeza com depressão.. na minha concepção o texto é uma maneira de motivação pra não se entristecer por tantas coisas e se ocupar mais sendo feliz.

    • Ana Carolina says:

      Simone, acredito que o texto quer banalizar o uso de medicamentos anti-depressivos por pessoas que acham que eles são os únicos responsáveis por trazer a cura. É fato que sem uma terapia ou uma análise de si mesma, será muito difícil de a pessoa vencer esse mal. A indústria farmacêutica meio que passa a ideia de que estar triste é sinônimo de ter depressão e, como você mesma disse, não é bem assim. Antes de tudo, precisamos tentar nos conhecer de verdade, ter uma noção da nossa própria identidade para depois colocarmos a culpa na serotonina. Foi o que eu consegui extrair do texto. Abraços.

  2. THAIS says:

    CONCORDO E ASSINO EMBAIXO! TUDO TEM A VER COM A RESPONSABILIDADE. SIMPLESMENTE NÃO POSSO ME DAR AO LUXO DE FICAR DOENTE, POIS CRIO MEUS FILHOS SOZINHA E PERCEBO QUE MUITAS PESSOAS FAZEM DAS RESPONSABILIDADES, FUGAS NA TENTATIVA INCONSCIENTE DE NÃO AS TER. MAS INFELIZMENTE HÁ QUEM SE SINTA OFENDIDO COM ESSA VERDADE. OLHAR PARA SI, AO INVÉS DE OLHAR PARA O OUTRO, NUNCA FOI FÁCIL, PORÉM NUNCA FOI IMPOSSÍVEL!
    BJS ADORO SEUS POSTS!!

    • Cláudia says:

      Tem gente que parece se revoltar com quem fica doente….achar que alguém ficar prostrada por conta de uma doença gravíssima é se dar ao luxo, pelo amor de Deus. Uma pessoa pra fazer um comentário deste nunca deve ter tido depressão, pois se tiver deve se matar, pois não vai querer esse luxo, né ?? Eu tenho filhos , casa pra cuidar, sempre fui muito ativa, sempre fui amparo pra todo mundo e acredito que a doença veio justamente pra me dar uma freada, pra me mostrar que preciso respeitar meus limites. Não tem sido fácil aceitar ser quem hoje sou…não é fácil aceitar que não tenho mais a energia e a disposição de fazer o que antes fazia…mas isso não foi escolha…não foi luxo…talvez tenha sido consequência de cuidar tanto dos outros e não cuidar de mim mesma!! Espero que quem disse que ter depressão é luxo nunca conheça esta doença!! Cada uma que a gente vê!!!

  3. charles scherer says:

    “Em minha opinião pessoal… toda criatura humana letárgica em sua tristeza,de caos de pensamentos e sentimentos… quando direcionada com determinação, a servir aos demais ao seu redor com prazer e afeto…passa a se iluminar de vida…de alegrias… que por sua vez… tornam seus dias mais felizes”…Sempre acreditei que tornar uma pessoa inútil em útil ao servir o próximo ..com amor ..por amor…é um dos caminhos seguro para uma mudança de caos …em luz de pensamentos e sentimentos”…
    Evidente…que cada caso é um caso…também, é evidente… que minha verdade não é única,por existir diversos caminhos alternativos que nos trazem luz de paz e felicidade”…

    “Quem serve ao próximo com amor..nasçe para vida…
    “Quem se isola do próximo por tristezas…morre para vida…

    Nota: Obrigado por participar deste comentário”…
    charles-campeche-ilha santa”.

  4. claudioslander says:

    Gostaria e pensar que a falta, faz falta e pronto. É triste ser enganado, iludido, viver de mentiras. Deveriamos todos fazer analise, conhecer nossos limites, e que coisas nao podem ocupar o lugar de pessoas, e que relacionamentos saudaveis curam nossas tristezas….. mas preferimos ir a farmacia, tomar um remedinho que a dor passa…… sera???????? Somos pessoas, de desejo, conhecemos o nosso desejo?????? Nao????? Tome um remedinho……. Ledo engano….. mais dor, mais remedio mais engano mais tristeza mais angustia mais depressoo. O furo, ou seja o buraco so aumenta…

  5. Lucélio says:

    Concluo por alguns dos comentários que o pessoal está precisando estudar e entender sobre português se tratando de interpretação de textos.

  6. Como a Simone, achei o artigo inteligente, mas o mesmo não lida com depressão, e sim, com tristeza. Depessao é quando você tem dinheiro no banco, uma família normal, saúde normal, uma casa boa para morar, uma família amorosa, pertence a uma boa igreja, viaja para o exterior várias vezes ao ano e apesar de cuidar da alimentação, caminhar mais de 30 km por semana, ainda sente uma angústia que nada neste mundo pode tirar. Isto é depressão. Depois de lutar por mais de 20 anos, de ler todo tipo de livro de auto ajuda, de fazer terapia, de ler a Bíblia, orar, fazer campanha em igrejas, batalhar o problema todas as manhãs, depois de uma noite de 12 horas sem dormir nem sequer por 5 minutos, você conclui que realmente, você é doente. Tristeza se cura com uma noite fora de casa com amigos queridos, um final de semana em um bom hotel em Caldas Novas, a leitura de um bom livro, umas duas horas de exercícios, mudanças nos seus hábitos de vida, etc. Depressão não, porque não se trata de tristeza, mas de algo mais. As pessoas deveriam se educar e saber separar negatividade e depressão, porque são duas coisas totalmente diferentes!

  7. Carlos says:

    Realmente a depressão real, assim como o transtorno bipolar são coisas que só quem realmente possui o diagnóstico sabe como são difíceis…Eu começo a aprender que o medicamento ajuda a estabilizar o humor dependendo do caso, para que nós possamos sair do furacão e nadarmos em direção a cura. Mas não adianta só os medicamentos. temos que fazer mudanças em nosso estilo de vida também. Escolher entre técnicas como meditação, yoga, tai chi chuan, medicina integrativa pode ser um bom auxiliar. Um site bom que encontrei no sentido de abordar os transtornos de uma forma descontraída e focando na solução dos problemas, no ser humano enão na doença em sí, é o http://www.anamariasaad.com.br que pertence a ONG Pensamentos Filmados. Nas seções tem textos e materiais muito úteis.
    Essa ONG Pensamentos Filmados também possui bons vídeos no youtube, com uma série intitulada saúde da mente muito boa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *